WHO IS ANNA WILLIAMS?

BEFORE YOU READ: THIS IS NOT A PRO-ANA OR PRO-MIA SITE. HOWEVER, I DO RESPECT AND OFFER COMFORT AND SUPPORT TO THOSE WHO SUFFER FROM THOSE EATING DISORDERS. THIS BLOG IS ABOUT MUCH MORE THAN JUST FOOD AND WEIGHT ISSUES. ANTES DE LER: ESTE BLOG NÃO É PRO-ANA OU PRO-MIA. NO ENTANTO EU RESPEITO E OFERECO CONFORTO E APOIO PARA AS PESSOAS QUE SOFREM DESTES TRANSTORNOS ALIMENTARES. ESTE BLOG É MUITO MAIS QUE APENAS UM BLOG SOBRE COMIDA E PROBLEMAS COM PESO.

WHO AM I?

My internet name is ANNA WILLIAMS: a tribute to my best friend in middle school, whose name is ANNA and to women I admire and my dad admired (he passed away in 2003) : Serena Williams, Venus Williams and Vanessa Williams (the first two are tennis players, the latter is an actress, but she is also a singer and she lost her title as Miss America for ludicrous reasons. Yes, they're all black women. No, I'm not related to them, neither do I even look like them. They are all amazing in their own way, but I AM WHAT I AM, my own special creation. I look like my mom, dad and family members)
I am a 40-year old woman who has lived in 4 different countries(USA,Australia,New Zealand, currently in Norway)learned 3 languages besides her own (Spanish,English,Norwegian)and has enjoyed a little bit of modeling, lots of traveling, heaps of teaching and learning... I am educated as an EFL and ESL teacher and I have a Masters in Education in English Literacy. I am Brazilian: a mixture of Polish, Indigenous Brazilian and Black Brazilian. I am a person, not a color.
Modeling was just a hobby. I was NEVER a super or top model. I don't even fit the characteristics. I am 5ft4 - 5ft6 (not sure because I've been measured several times and I come out looking taller or shorter depending on where I am measured. I'm ALWAYS MEASURED WITHOUT SHOES , so it's not that) While modeling I weighed 96 - 137 pounds and ironically enough got more jobs when I was at the heaviest end of the scale. I was NEVER FAT, but I do have a latent eating disorder. Don't try to understand me. If you read this blog you will realize it's about my relationship with food and also about who ANNA WILLIAMS is. My alterego, my internet persona who helps me cope with everyday situations. I spend 99% of my time with my daughter. I leave www.justin.tv on as background noise when I'm at home and in between chores sometimes I browse through channels and even talk to people, but my main occupation is MOM:-) I also have a job at a hotel as ''extra help'' and at a school as a substitute Spanish teacher. But my degree is in ENGLISH and LITERATURE in that language.

If you like me and want to see my videos go to my youtube channel www.youtube.com/safiwantstolive and also follow my justin.tv channel www.justin.tv/safi_anna . I am not a porn star, stripper or any other kind of sexually oriented professional. None of my ''shows'' are sexual. If you interpret them that way, you're a fucking loser.

It's ok if porn stars want to make money that way. I respect them as I respect strippers, but I am not and never have I been in those professions. I was a model for a while and I am highly educated, never needed to struggle for money because my parents in Brazil supported me financially. My father was an engineer who went to university for 6 years, my mother is educated as a teacher and they gave me the best upbringing a person can have.

Yes, I wear tiny clothes and bikinis. My Brazilian culture allows me to do that in a natural way and it really doesn't have anything to do with sex. Again, if you think it does, you're a loser.

I also do shows on battlecam, none of them are sexual either. People who masturbate to random women who are moving around in a non-sexual way and singing on the internet, whether they are in a bikini or in regular clothing are mentally disturbed. That's just my opinion.

I don't need or want your attention, to be perfectly honest with you: my least favorite part of all channels (tinyshit, jtv, battlecam, etc) IS THE CHAT ROOM. People either suck up too much or they insult you. There are very few nice/regular people to talk to. I don't like small talk, my shows are my time to express my creativity. People who come in with ''Hi, Anna! How are you today?'' sometimes don't realize that.

The third season of my show, HOWEVER, was ALL FOR THE FANS. I HAVE BEEN CHATTING MORE AND DEDICATING MORE TIME TO THE CHATTERS, VIEWERS AND FANS WHO CARE ENOUGH TO FOLLOW ME ON THE INTERNET THROUGHOUT ALL DIFFERENT STREAMING SITES:-)

www.battlecam.com/anna_williams

SIGLAS

SIGLAS QUE EU USO MUITO NOS MEUS POSTS
LF low food (literalmente ''baixa comida'' - pouca comida)

NF no food (literalmente ''não comida'' - nenhuma comida)
SF days semi fasting days (literalmente '' dias de semi-jejum) Este eu tive que inventar porque como eu não fico 24 horas sem comer, não tenho permissão das hardcore anas para usar o termo NF:-) risos*
RA Reeducacão alimentar
TA Transtorno alimentar
AF Atividade Física

Seguidores

Newscaster as a teenager

ANNA WILLIAMS ON TWITTER

De onde estão lendo o meu blog?

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

C.A. falou ''I am beautiful, no matter what you say!'' e ela tem razão. Não devemos deixar que as pessoas influenciem nossa auto imagem :)












POSTANDO UM MONTE DE FOTOS MINHAS. SEI QUE MEU ROSTO É JOVEM, MEU CORPO ESTÁ MELHOR HOJE DO QUE HÁ MAIS DE 20 ANOS ATRÁS E TEM MUITA MENINA DE 20 ANOS QUE ESTÁ TODA ESTRAGADA DE CORPO, ROSTO E ETC. ENTÃO NEM UM FILHO DA PUTA VAI ME CHAMAR DE VELHA E FEIA E INFLUENCIAR A MINHA AUTO IMAGEM.

EU ENSINEI A MINHA FILHA QUE ELA É LINDA, NÃO IMPORTA O QUE DIGAM.

E TODAS VOCÊS LENDO ISTO AGORA, ''SE ACHEM MESMO!''. QUE SE DANEM AS PESSOAS QUE QUEREM NOS COLOCAR PRA BAIXO, ESPECIALMENTE OS HOMENS QUE NÃO VÊEM NOSSO VALOR E QUE QUEREM PISAR EM NÓS PORQUE É A ÚNICA MANEIRA QUE ELES ENCONTRAM DE SE SENTIREM PODEROSOS.

SOMOS LINDAS, FORTES E INTELIGENTES!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Eu sou magra. Eu estou magra.

Por que será que mesmo quando meu mundo está desabando eu ainda me importo em dizer isto a mim mesma e em  descobrir as melhores formas de tornar estas duas frases (as do título deste post) REALIDADE.

A MINHA REALIDADE

Todos os dias eu acordo, tomo café para ficar alerta, entro online, mando mensagens pra minha mäe no facebook, leio tudo o que ela postou na minha linha do tempo, preparo aulas, leio artigos, entro nos websites de transmissão ao vivo, depois quando o dia se inicia para as pessoas ''normais'', lá pelas 6:30-7:30 da manhã (Eu acordo entre 4:30 e 5 AM todos os dias) eu tomo conta da minha filha.

Eu preparo o lanche da minha filha para a escola, arrumo sua mochila, separo as roupas para que ela possa ter as roupas necessárias para a temperatura do dia, acordo minha filha, dou café da manhã para minha filha, levo minha filha pra escola e vou para o trabalho.

Vou de ÔNIBUS. Não tenho amigos próximos que possam me dar carona. E quando digo próximos não estou falando em onde moram, estou falando de amigos chegados, amigos do peito, amigos de verdade. Nada disto eu tenho aqui. Já tive, mas estes amigos e amigas não vivem mais na minha cidade.

Quando não vou de ônibus eu vou de táxi.

Trabalho, trabalho, trabalho.

Mantenho um relacionamento cordial e pacífico com as pessoas nos meus empregos. Nada inapropriado, nada de amizades, apenas profissionalmente me relaciono com as pessoas.

Na hora do lanche eu sempre dou uma desculpa porque não estou comendo.

Eu geralmente como de manhã antes de sair e depois muitas horas de SF day mais tarde quando volto pra casa.

Eu tenho um T.A. e isto não é algo fácil de dizer pras pessoas que vão me olhar e me achar ''gorda demais pra ser anoréxica e magra demais pra ser obesa'', então vão dizer que é tudo bobagem da minha cabecinha.

Estou sobrevivendo, meninas, antigas e novas leitoras deste blog.

Gostaria de poder dizer a todas vocês abertamente o que se passou comigo nos últimos dois anos e meio, mas infelizmente não posso.

Lia sabe muito da minha vida porque já nos conhecemos aqui dos blogs há quase 7 anos.

Um dia eu gostaria de poder ''botar a boca no trombone'', mas não sei se isto vai acontecer.

Por enquanto eu vou continuar olhando estas selfies que tirei hoje e vou ficar dizendo EU SOU MAGRA, EU ESTOU MAGRA.

Emagreci um pouquinho, mas não perdi todos os 12 pounds que ganhei pra ele. Foi tudo em vão, então agora os 12 pounds tem que sair de mim.


domingo, 8 de fevereiro de 2015

Caminhando muito na neve, sobrevivendo, vivendo e AMANDO!












Eu sei que desapareci. Sei que fiz uma promessa de blogar mais, mas a vida me deu tantas porradas (das quais poucas eu posso falar) que eu acabei deixando meu desempenho no mundo dos blogs meio capenga.

Mas estou  aqui!

Lia, uma de mais prezadas amigas aqui dos blogs, eu jamais desistirei! Obrigada pelos comentários!

Estes dias vi no twitter que Pucca me escrevera. Nossa! Pucca é minha amiga das antigas também.

Quando iniciei minhas atividades nos blogs há 7 anos eu conheci pessoas que me ajudaram muito e eu nunca as esquecerei.

Este blog foi iniciado tendo em vista os meus problemas com t.a.

Depois ele se desenvolveu e se transformou em outra coisa: um compêndio de aventuras e desventuras em minha vida.

No momento eu vou falar um pouco do que está acontecendo: estou lecionando muitas vezes por semana. Agora estou além das aulas para oitava, nona e décima série de Espanhol e Inglês, estou lecionando Literatura em Lingua Inglesa, Noruegues e tenho uma turma de Business English.

Por isto eu quase não tenho tempo para pensar direito nos T.A.s Ainda assim continuo me aborrecendo com esta coisa chata das pessoas ficarem perguntando ''o que você gosta de comer?'', ''você gosta disso?'' ,''você gosta daquilo?''. Na realidade eu tenho aversão á comida, não consigo comer de maneira satisfatória e gostar do que como. Eu como porque tenho que viver e quando como por gulodice me sinto horrível por dentro e por fora.

O trabalho me mantém ocupada, menos deprimida e o amor que tenho em meu  corazón é agora exclusivamente para a família, para os alunos e principalmente minha filha.

O amor dos contos de fadas cheio de paixão e obstáculos nunca mais vai existir, mas existe o amor fraternal, maternal e estes tipos de amor são mais importantes.

Meu exercício principal é caminhar na neve, seguido de abdominais, academia sempre que dá e bola pra frente!
Ainda não me pesei em 2015. Mas quando perder os 12 pounds vou sentir que o passado que me atormenta realmente ficou pra trás.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Sobrevivendo ainda




Fotos minhas em diferentes momentos. O que todas elas tem em comum é que eu estive sempre em ''modo sobrevivência''. Muitas vezes em minha vida me sentí abandonada e sozinha. Aos poucos fui descobrindo mecanismos de enfrentamento para cada ocasião.

O carinho e o afeto de uma pessoa amada sempre foram muito importantes pra mim.

Nos últimos tempos perdi toda e qualquer vontade de ter isto novamente.

Descobri que o amor da minha família por mim é muito mais importante que afeto e carinho que tive que mendigar, pedir, implorar.

O amor da minha família vem sem que eu tenha que pedir, implorar, mendigar. Estou agora submersa neste amor verdadeiro e deixei de correr atrás do conto de fadas porque ele nunca existirá.

Existe o amor fraternal, paternal, maternal e um amor que eu estou agora descobrindo novamente: o amor dos alunos pelos seus professores. Um amor que vem atrelado a muito respeito e é semelhante ao amor que temos pelos nossos pais, tios, primos mais velhos, irmãos mais velhos.

Sou muito amada de várias formas. Descobri que a felicidade vem de onde se menos espera e que o que buscamos pode estar bem á nossa frente. Eu quis tanto um trabalho como professora fixa em uma escola. Agora eu tenho isto.

Eu pedí a Deus com muito fervor que me desse uma filha. Em Outubro de 2005 eu fiz o teste de gravidez e descobri que Skyler estava em meu útero se desenvolvendo.

Tudo o que eu pedí a DEUS, eu recebi.

Agora falta que Ele tire de meu coração  algo que está me matando aos poucos. Quando isto sair de mim, eu vou ser muito mais feliz. Já desistí de tanta coisa que há poucos meses atrás eu estava tão esperançosa de conseguir. No momento eu quero ser melhor mãe para minha filha, melhor professora para meus alunos e melhor ente querido para minha família em geral.

Quem conhece minha história já leu aqui que eu tive três noivos: um dos quais se tornou meu marido.

Eu terminei dois noivados. Se eu tivesse dado continuidade a qualquer um daqueles noivados, eu sei que teria sido muito amada e idolatrada por eles. Todos os dois me amavam, amavam o chão que eu pisava. Meu último noivo, que se tornou meu marido, não demonstrava o amor e o carinho que os dois ex- demonstravam. Ele era meio frio, meio passivo e ele tentou mudar durante muitos anos e não conseguiu.

Nosso relacionamento se iniciou há 17 anos atrás e teve muitos altos e baixos.

Ficamos separados algumas vezes e eu me envolvi no mundo virtual de tal maneira que abandonei totalmente minha vida conjugal.

E agora?

O futuro a Deus pertence.

Eu preciso tirar de meu coração o que está me matando. Deus precisa tirar de dentro de mim este sentimento que está me consumindo. Minha filha é tudo pra mim. Muitas vezes ela tentou me salvar do buraco onde eu estava me metendo. Se eu pudesse abertamente escrever aqui, vocês entenderiam.

Mas não quero criar confusão com ninguém.

Já não chega todo o sofrimento que eu passei.

O peso, quem me perguntar eu acho que está na mesma porque as roupas não estão mais apertadas ou mais frouxas.

O resto é resto. Eu preciso voltar a ser ''EU'' . 

Antes só que mal acompanhado, sim, mas se Deus colocou alguém na minha vida, por pior que tenha sido a experiência, houve uma razão para isto acontecer.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Obesas e Anoréxicas, juntas na mesma jornada porque o nosso mindset é o mesmo


Quero que vocês todas leiam o blog da SANDRA


http://sandracrisps.blogspot.no/2015/01/decisao.html


Eu disse a ela:


Você é um exemplo de vida. Eu acompanho seu blog há anos e acompanho reality shows onde pessoas em um processo bastante chocante e traumático perdem peso com muito exercício todo santo dia e muita comida saudável. Após saírem destes reality shows eles são obrigados a enfrentar a vida longe das câmeras e muitos acabam engordando tudo novamente. As pessoas condenam sim, assim como você citou no seu post. Ninguém sabe o que é viver com um transtorno alimentar a menos que o tenham. O relacionamento com a comida é difícil. A comida as vezes se torna um conforto, as vezes nos privar dela se torna um conforto. Controlar a balanca e ficar sem comer durante dias para manter sob controle a unica coisa na vida que podemos controlar. As vezes comer para esquecer os problemas nos torna ''poderosas'' por alguns momentos, da mesma forma que ficar sem comer para esquecer os problemas nos torna poderosas. Então tanto as anoréxicas como as mulheres que sofrem com a obesidade tem algo em comum: um dificil relacionamento com a comida que as leva a comer demais ou de menos porque algo em suas vidas não está bem. Eu recentemente passei por algo que me tirou a vontade de comer. Fiquei fraca, me senti super mal, mas com a ajuda psicológica eu me forcei a comer porque eu estou lutando para não voltar á anorexia que quase me tirou a vida há vinte anos atrás.

Sandra, te dou todo o apoio e acompanharei seu progresso aqui no blog! Estamos todas juntas nesta jornada.


quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

MINHAS QUARTAS-FEIRAS /MY WEDNESDAYS

Quando minha filha nasceu em 2006, eu passei a ter uma rotina bastante regrada que sempre girou em torno dela.

Nas Quartas-feiras eu sempre a levava ao cinema comigo para o Mommy and me cinema.

Outras Quartas-feiras íamos ao Mommy and me Aerobics e depois íamos para a Suécia (como fizemos ontem).

Em 2014 eu tive a oportunidade de ensinar NORUEGUÊS PARA ALGUMAS BRASILEIRAS QUE VIVEM AQUI NA NORUEGA e isto acontecia ás QUARTAS-FEIRAS PELA MANHÃ.

Eu dava uma hora de aula e depois de lecionar Norueguês, conversávamos e trocávamos experiências sobre a vida aqui na Noruega. Tudo na base de muito respeito e amizade.

Não sou lésbica (não que haja alguma coisa errada com isto) e eu trato as mulheres ao meu redor com amizade e respeito. Todas as pessoas que vieram á minha casa aprender Norueguês ou Inglês no passado e que possam a vir no futuro foram e serão sempre tratadas com profissionalismo e respeito.

Eu dava aula / lecionava Norueguês para as meninas nas quartas-feiras de manhã e nas sextas-feiras á tarde.

No final de Dezembro fui convidada para substituir uma professora de Inglês e tive que parar de lecionar/ ensinar Norueguês em casa e fui dar aula de Inglês na escola.

Continuo fazendo isto, mas ontem não pude porque tive que ir para a clínica fazer um check up com meu médico.

Eu não sou prostituta, não sou drogada, não sou uma mulher vulgar que vive para ter sexo com diversas pessoas.

Sempre fui exclusiva em meus relacionamentos e nunca fui promíscua.

Não vou aceitar calada todas as accusations que estão fazendo.

Eu vou me defender sempre.

Meu T.a. pode ser um issue. Eu posso ter meus problemas psicológicos, mas vagabunda, prostituta, piranha e mulher promíscua eu NÃO SOU.

A minha sexualidade sempre foi baseada em amor, carinho, uma emotional connection e eu não sou jamais me entregar para ninguém seja online ou na vida real sem que hajam estas coisas. Eu não estou fazendo nada disto e nem quero.

Quero PAZ.

Quero CRIAR MINHA FILHA

Quero EMAGRECER

Quero me MUDAR DE APARTAMENTO

As quartas feiras são dias bons pra mim, tenho um pouquinho de folga e ou estou substituindo uma professora, ou estou na clínica, ou na academia fazendo uma aulinha, ou fazendo meus deveres de cada dia: correio, supermercado, biblioteca...

Eu também vou ao banco nestes dias e pago contas.

Eu espero que esta postagem seja lida pela pessoa que me acusou de ser prostituta ás quartas-feiras.


quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

eu quero meu eu de volta

Não é só o peso que eu quero menor, não é só o cabelo que eu quero ver crescer e encher novamente, não é só o brilho no olhar que eu quero sentir.

Eu quero meu eu de volta.

Eu tinha uma certa exuberância, um je ne sais quoi que sempre foi objeto de admiracão e um dos tracos mais importantes da minha personalidade.

A vela se apagando e eu aqui segurando e colocando a mão na frente porque assim de repente ela  não perde a chama.

Ainda assim parece que tudo o que eu mais amo me escapa pelas mãos porque eu não sou boa o suficiente para algo ou alguém que importe.

Isto dói.

sábado, 3 de janeiro de 2015

Primeiro post do ano continuo na mesma

Ainda não perdi os 12 pounds, mas também não engordei. Eu vou tomar coragem para fazer uma dieta boa sem carne, sem gordura e sem porcarias durante a semana. Assim eu posso pisar na balancinha e checar meu peso e ver pelo menos uns 5 pounds a menos.

Eu estava assim:


Quando      eu    dava aula em uma escola, um instituto de línguas e uma universidade  no Brasil em 1998-2001 eu vivia correndo pra baixo e pra cima e mal tinha tempo pra comer. Dava muita aula meeeeeeeeeeeesmo. Vou usar isto como inspiracão porque foi assim que eu conseguí na época ir de 65 a 53kgs.


Eu vou usar o trabalho para me concentrar também em perder peso. Vou sempre continuar tirando um tempinho para a ginástica e vou levar apenas coisas saudáveis para comer na hora do almocinho e não vou beliscar nas horas de pausa.

Continuo a mesma: abdominais todos os dias, caminhada e jamais abandonando a ginástica na academia quando possível.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Mais saudável, mais inteligente, mais simples



As vezes como sobreviventes de T.A.'s ouvimos dos outros :''Emagrecer é simples. A maneira mais fácil de emagrecer é com exercício e uma dieta balanceada.''  As pessoas falam isto com uma facilidade como se fôsse assim: hoje vou fazer dieta, vou fazer exercícios, vou emagrecer, acabou!

Quem diz isto e espera que seja um caminho não tortuoso para quem tem T.A. realmente está enganado.

A lógica de quem tem T.A. é muito diferente. Na verdade, para nós não existe lógica de peso, exercício, o que é saudável e o que não é nos momentos em que estamos tendo uma crise existencial. Nestes momentos nós queremos o que queremos. Se for uma crise que vai nos afetar para que fiquemos 72 horas com um copo de leite e 48 cubos de gelo no estômago e sem nenhuma comida, vamos nos sentir ''normais'' fazendo isto. Dias depois vamos olhar pra trás e saber que está errado
mas isto não significa que vamos parar totalmente com este comportamento.

Aí é que entra um importante aspecto da vida de quem tem T.A. que uma pessoa ''normal'' (entre aspas porque não ter T.A. não significa que uma pessoa é normal) não conseguirá entender jamais o que se passa em nossas cabecinhas e em nossos  <3 .="" br="" nbsp=""> No auge do meu transtorno alimentar, eu cheguei a tomar 150 mg de INIBEX. Este remédio era tão forte que eu ficava sem dormir, sem conseguir me concentrar e ficava sem comer 72 horas ou mais.

Nunca vomitei para perder peso, mas já fiquei sem comer, vários dias.

Isto apenas com aquele remédio. Sem o remédio o máximo que conseguí foi 48 horas.

Hoje em dia eu passo 18-24 horas sempre que consigo, mas não consigo ir ao que eu chamava de paraíso das anorexicamente magras (46 kgs ou menos). Eu sei que jamais vou conseguir isto sem remédios e eu fiz uma promessa a mim mesma que jamais vou tomar remédios outra vez. Estes remédios me tornavam uma pessoa sem paz interior, sem consciência do que se passava ao meu redor e tudo o que eu queria era me pesar e ver números menores e menores. Eu lembro que em 1991 eu estava com 57 kgs. Em 1993 eu cheguei a 46. Tudo na base dos remédios.

Hoje eu digo que mais saudável, mais inteligente e mais simples (SUNNERE, SMARTERE, ENKLERE) eu tenho que ir UM DIA DE CADA VEZ COMO UM ALCÓOLATRA QUE CONTROLA SEU VÍCIO. O T.A. nos dá uma personalidade de viciado. Infelizmente temos que lidar com o vício aos poucos.

sábado, 27 de dezembro de 2014

Amar é viver. Amar a si mesmo é as vezes difícil. Amar ao outro ainda mais.

Amar alguém mais que a própria vida é um dos maiores riscos que se pode correr. Infelizmente não é uma escolha, é algo que acontece sem que possamos nos previnir.

Eu quero perder 12 pounds. Ao mesmo tempo quero ''retê-los'' porque sei que quando eu estou magra ao ponto de me sentir linda é o ponto em que a pessoa que eu mais amo nesta vida me acha feia de corpo.

Talvez seja por isto que eu não tenha conseguido perder o peso ainda. Talvez esperando que ele olhe pra mim.

Muitas de nós com T.a. temos disso: alguém em nossas vidas que queremos que nos veja de uma certa maneira. As vezes o peso, a perda, o ganho dele nos faz importantes para alguém

Eu voltei aos programas ao vivo de biquíni no meu canal www.battlecam.com/anna_williams , mas não é a mesma coisa. Nunca mais será. Do meio da terceira temporada em 2012 para a  quarta temporada em 2014 muita coisa mudou. Eu vou sentir falta pra sempre daquela época em que eu me sentia tão confiante e feliz.

Hoje eu retorno aos programas ao vivo porque eu sei que muitas pessoas os admiram. Eu sei que há pessoas que valorizam os programas ao vivo e vêem que meu intento não é pornografia.

Retornei para mostrar os biquínis. Eu tenho mais de 150 biquínis. Eu vou para a hidroginástica e nadar também com eles. Me sinto feliz com isto. Os biquínis me dão um bem estar. Só pra mim. Näo é pra ninguém olhar ou falar nada.

Eu me sinto bem por mim mesma. Eu gostaria tanto que outras mulheres se sentissem bem assim da mesma forma. Gostaria que meu exemplo: 42 anos, mãe, trabalhadora e em forma física melhor de muita gente com metade da minha idade. Eu estou sofrendo com um Transtorno Alimentar há vários anos, ao menos 20 anos.

Estou viva, sobrevivendo. Mais um ano se vai e eu fico.