WHO IS ANNA WILLIAMS?

BEFORE YOU READ: THIS IS NOT A PRO-ANA OR PRO-MIA SITE. HOWEVER, I DO RESPECT AND OFFER COMFORT AND SUPPORT TO THOSE WHO SUFFER FROM THOSE EATING DISORDERS. THIS BLOG IS ABOUT MUCH MORE THAN JUST FOOD AND WEIGHT ISSUES. ANTES DE LER: ESTE BLOG NÃO É PRO-ANA OU PRO-MIA. NO ENTANTO EU RESPEITO E OFERECO CONFORTO E APOIO PARA AS PESSOAS QUE SOFREM DESTES TRANSTORNOS ALIMENTARES. ESTE BLOG É MUITO MAIS QUE APENAS UM BLOG SOBRE COMIDA E PROBLEMAS COM PESO.

WHO AM I?

My internet name is ANNA WILLIAMS: a tribute to my best friend in middle school, whose name is ANNA and to women I admire and my dad admired (he passed away in 2003) : Serena Williams, Venus Williams and Vanessa Williams (the first two are tennis players, the latter is an actress, but she is also a singer and she lost her title as Miss America for ludicrous reasons. Yes, they're all black women. No, I'm not related to them, neither do I even look like them. They are all amazing in their own way, but I AM WHAT I AM, my own special creation. I look like my mom, dad and family members)
I am a 42-year old woman who has lived in 4 different countries(USA,Australia,New Zealand, currently in Norway)learned 5 languages besides her own (Spanish,English,Norwegian,Swedish and Danish)and has enjoyed a little bit of modeling, lots of traveling, heaps of teaching and learning... I am educated as an EFL and ESL teacher and I have a Masters in Education in English Literacy. I am Brazilian: a mixture of Polish, Indigenous Brazilian and Black Brazilian. I am a person, not a color.
Modeling was just a hobby. I was NEVER a super or top model. I don't even fit the characteristics. I am 5ft4 - 5ft6 (not sure because I've been measured several times and I come out looking taller or shorter depending on where I am measured. I'm ALWAYS MEASURED WITHOUT SHOES , so it's not that) While modeling I weighed 96 - 137 pounds and ironically enough got more jobs when I was at the heaviest end of the scale. I was NEVER FAT, but I do have a latent eating disorder. Don't try to understand me. If you read this blog you will realize it's about my relationship with food and also about who ANNA WILLIAMS is. My alterego, my internet persona who helps me cope with everyday situations. I spend 99% of my time with my daughter. I leave www.vaughnlive.tv on as background noise when I'm at home and in between chores sometimes I browse through channels and even talk to people, but my main occupation is MOM:-)I have 4 jobs: translator, professor, teacher and writer. I translate documents and courses for a firm in the city where I live in Norway. I am a professor at an institution of higher education where I lecture Literature written in English Language and I teach languages there also. I teach 8th,9th and 10th grade Spanish and English at another place. I write articles regarding grammar in the English Languages for the same language institute I already mentioned. Although I'm still under contract at the hotel as an ''extra'', I haven't worked there at all since November 2014 and I don't see myself going there as often anymore because a subsidiary of the Language Institute I work for has hired me to teach Business English in firms. I'm very busy these days. I never used to broadcast for that long anyway, now I broadcast for even shorter amounts of time.

If you like me and want to see my videos go to my youtube channel www.youtube.com/safiwantstolive and also follow my vaughnlive.tv channel www.vaughnlive.tv/anna_williams . I am not a porn star, stripper or any other kind of sexually oriented professional. None of my ''shows'' are sexual. If you interpret them that way, you're a fucking loser.

It's ok if porn stars want to make money that way. I respect them as I respect strippers, but I am not and never have I been in those professions. I was a model for a while and I am highly educated, never needed to struggle for money because my parents in Brazil supported me financially. My father was an engineer who went to university for 6 years, my mother is educated as a teacher and they gave me the best upbringing a person can have.

Yes, I wear tiny clothes and bikinis. My Brazilian culture allows me to do that in a natural way and it really doesn't have anything to do with sex. Again, if you think it does, you're a loser.

I also do shows on battlecam, none of them are sexual either. People who masturbate to random women who are moving around in a non-sexual way and singing on the internet, whether they are in a bikini or in regular clothing are mentally disturbed. That's just my opinion.

I don't need or want your attention, to be perfectly honest with you: my least favorite part of all channels (tinyshit, jtv, battlecam, etc) IS THE CHAT ROOM. People either suck up too much or they insult you. There are very few nice/regular people to talk to. I don't like small talk, my shows are my time to express my creativity. People who come in with ''Hi, Anna! How are you today?'' sometimes don't realize that. There are days when I just sit there and talk to people, but there are broadcasts that are like lectures in which I will only be talking and not really interacting with chat as much.
I don't mean to be rude, but once my presentation is flowing I don't want to stop to make chit-chat in the middle of it.

The third season of my show, HOWEVER, was ALL FOR THE FANS. I HAVE BEEN CHATTING MORE AND DEDICATING MORE TIME TO THE CHATTERS, VIEWERS AND FANS WHO CARE ENOUGH TO FOLLOW ME ON THE INTERNET THROUGHOUT ALL DIFFERENT STREAMING SITES:-)

The fourth Season of my show was a turbulent one: I stopped talking to people altogether, went for 8 months without doing a bikini show and almost ruined everything that I had built as a broadcaster since 2008-09.

This year (2015) I am doing the 5th season of my show and I am back to my roots as a caster, but there is no trolling or guest chat allowed. I have had trolls and guests on my channels before, both on jtv and on vaughn. On Battlecam I have already heard every single possible form of insult a person can hear. There's nothing new. The trolls and guests are repetitive, they disrupt the chat and I am not interested in what they have to say. I have already heard it all. I'm not afraid of them or upset by them. I just refuse to give these idiots a platform to be bullies on the internet just because their real lives suck so much.

I am on vaughn and battlecam almost daily for at least a quarter of an hour up to an hour and a half. Fortunately or unfortunately for me, I do not have 6-8 hours at my disposal to broadcast. I think it's great when folks do that and they enjoy themselves. Broadcasting has to be fun! I just do it for shorter periods of time. When you see me, come in! I will be gone soon and you will be able to go back to your favorite casters :)

This is my blog about initially eating disorders, but it grew into something more complex. I hope you enjoy reading it!

www.battlecam.com/the_real_anna_williams

Seguidores

SIGLAS

SIGLAS QUE EU USO MUITO NOS MEUS POSTS
LF low food (literalmente ''baixa comida'' - pouca comida)

NF no food (literalmente ''não comida'' - nenhuma comida)
SF days semi fasting days (literalmente '' dias de semi-jejum) Este eu tive que inventar porque como eu não fico 24 horas sem comer, não tenho permissão das hardcore anas para usar o termo NF:-) risos*
RA Reeducacão alimentar
TA Transtorno alimentar
AF Atividade Física

ANNA WILLIAMS ON TWITTER

De onde estão lendo o meu blog?


contador de visitas

domingo, 29 de maio de 2016

Balanças que mentem, coração partido, sobrevivendo sempre






Eu tenho pesado entre 58-63kgs nos últimos anos. As variaões de peso são geralmente de cunho emocional. Eu páro de comer quando estou triste. O silêncio dói mais que palavras duras, mas as vezes eu tenho muito medo de me pesar e fico um tempão sem pisar na balança.

Eis que isto aconteceu, fiquei meses sem me pesar, subí na maldita e vi que estava com 64.7kgs. Pensei com meus botões: ''1 quilo e setecentas gramas acima do normal, vou fazer ginástica, diminuir ainda mais a comida e em umas duas semanas eu estou com menos''.

Mas eu cometí o ledo engano de subir numa daquelas balanças mentirosas de academia. Nela eu estava com 66.8kgs. Na hora eu tive vontade de gritar um puta que pariu bem alto. Mas me acalmei.

Fui a outra academia e percebi o mesmo peso mais de dois quilos acima do que pesei em casa.

Comprei duas outras balanças e me pesei em casa: 63.8kgs e 64.1 kgs nestas duas contra 64.7kgs na minha balança velha.

Visitei mais uma academia franquiada pela mesma academia que frequento e continuava o peso com dois quilos acima.

Falei com a recepcionista e ela me disse que várias mulheres comentam isto e que até pararam de se pesar na academia. As balanças de academia de 3 em 3 meses ou de acordo com a época do ano são ajustadas com 2 quilos a menos ou a mais para que os frequentadores se motivem e pensem assim :''tenho que fazer mais exercício, não posso largar a academia.'' Depois eles reajustam e fazem as pessoas pensarem que estão perdendo peso. Isto depois de muito pesquisar fiquei sabendo a respeito desta franquia de academias das quais eu sou membra.

Então minha dica é, não confiem em balanças de academia. Confiem nas que vocês tem em casa.

Eu agora tenho três.

Meu coração partido é o de sempre. A gente pisa na bola uma vez por alguma coisa que não acha que vá fazer qualquer diferença e depois percebe que uma coisa que pra você não era nada, para o outro serviu de estopim para uma guerra que já vai de anos. Você sofre todo santo dia ora com silêncio, ora com palavras que doem. Mas a razão de tudo foi uma coisa que você fez sem pensar nas consequências e sem intenção de magoar, sem imaginar o que aconteceria depois...

Então é isto. Não posso falar muito mais que isto.

Tenho que filtrar o que escrevo porque eu sou vigiada e espionada por pessoas, algumas maléficas e que tem o intuito de acabar de destruir minha vida.

Estou sobrevivendo por esta menina linda que é Skyler. O pai dela a levou no salão e sem meu consentimento cortou o cabelo dela que estava até a bunda num chanel curtinho. Fiquei triste, arrasada mesmo porque quem sabe o valor de cabelo para uma mãe negra brasileira vai entender. Skyler nasceu abençoada com este cabelo liso quase uma japonesa e o pai vai e corta mais da metade sem dó, sem piedade. Que pessoa sem noção as vezes ele é. Sinceramente, fico puta de raiva, fico prestes a xingar: caralho, merda, puta que pariu... Me deu raiva quando eu ví o quanto a tal da Maiken tinha cortado. A cabeleireira escolhida pelo pai da minha filha. Enfim, deixa pra lá. Não quero mais confusão. O cabelo liso abençoado dela vai crescer.

Eu fui abençoada com cachos macios enquanto mamãe tem o cabelo bem duro Afro mesmo, ela tinha um afro redondo maravilhoso na década de 70. Somos todos abençoados com alguma coisa e temos que aprender a cuidar. O Afro mamãe falava que dava muito trabalho e que ela por isto passou a alisar e desde 1978 ela usa o cabelo alisado e desde 2001 usa megahair que ela trata religiosamente e está sempre com aparência de cabelo verdadeiro nascido na cabeça dela.

Eu fiquei meses sem pintar o cabelo. Estava igual ao Tio Barnabé do Sítio do Picapau Amarelo em sua primeira versão para a TV, ou seja, estava horrorosa. Eu tenho o rosto delicado e jovem e o cabelo branco no topo da minha cabeça estava estranho pra caralho. Agora eu pintei. Sexy e maravilhosa não estou, não vou estar nunca, mas pelo menos mais apresentável para o trabalho.

sábado, 28 de maio de 2016

Considerada feia por ser negra de pele escura, rejeitada por não ser ''cool'' suficiente, mas pelo menos não sou oprimida por uma burca

Hoje saindo de casa para ir até a academia, supermercado e correio como eu sempre fiz nos Sábados em que não viajo para a Suécia com Baby Skyler, ví no caminho uma menina Norueguesa de mini blusa e shorts. Faziam 14 graus Celsius com um pouco de sol. Pra mim isto não é calor nem aqui nem na China. Na minha cabecinha como sempre passavam as palavras ''Até parece que está calor!''.

Debaixo de sol dá pra aproveitar quando está fazendo 14 graus, mas se a pessoa se posicionar á sombra, faz frio. Mas pelo visto eles não sentem.

Continuei caminhando até o ponto de ônibus.

Eis que me deparo com uma coisa que me chocou. Eu vi duas menininhas de BURCA, passeando com o pai. O sol batia diretamente no ponto do ônibus onde elas estavam sentadas. Depois o homem levantou e as levou para um local na grama perto do ponto também com o sol batendo bem em cima.

Eu fiquei olhando e pensando na opressão das duas meninas. Não deviam ter mais que 6 e 8 anos.

Que tristeza ter que andar assim e não ter escolha.

Meus pensamentos se voltaram para a pequena Norueguesa de shorts e mini blusa andando sozinha no que com certeza será um dos poucos dias de sol. Ela é livre, pode escolher usar shorts e as menininhas de burca não.

Muitas vezes eu venho aqui e escrevo posts reclamando da minha vida, mas isto não significa que eu não veja que outras pessoas tem uma vida um tanto pior.

Eu sonhava com um fairy tale e não tive. Fui rejeitada, massacrada e ignorada. Passei por alguns traumas dos quais não vou aqui falar, mas sempre fui livre, ainda que uma liberdade restrita. Pelo menos eu pude escolher minhas roupas e pude viver sem ter que esconder-me debaixo de uma burca e viver como um ser humano de sub categoria como viverão sempre estas menininhas.

Há uns 3 anos eu lí em um jornal sobre um farmacêutico que não contratava mulheres de burca. De burca elas não podiam trabalhar na farmácia dele. Ou seja, ele discriminava e ainda falava no jornal sem pudor, sem um pingo de humanidade. Eu tenho pena de muitas meninas de burca, mas eu jamais diria que elas não teriam o direito a um emprego.

Tudo isto me faz ver que mesmo rejeitada, me sentindo ignorada e abandonada, ainda assim eu tenho minha capacidade intelectual, minha coragem de caráter e mais que tudo minha filha.

Nunca terei tudo. Nunca terei o que eu realmente sonhei, mas eu me sinto feliz de não ter que andar de burca. Não sou oprimida desta maneira.







sexta-feira, 27 de maio de 2016

VIDA LIMPA SEMPRE

Sou culpada:
de ser mãe primeiro e tudo depois
de não ter carro e ter que viver saindo de ônibus, a pé e de táxi
de ir ao supermercado
de ir ao correio buscar presentes que comprei pra minha filha no amazon.com
de ir ao consultório médico fazer tratamento
de ficar cansada e roncar a noite quando durmo
de me movimentar enquanto durmo
de ter 43 anos e não 18-26
de ser negra de pele escura e não clara
de não fumar maconha ou usar qualquer tipo de droga recreativa
de quase nunca beber
de não ir a cafés, bares ou discotecas
de fazer ginástica em academias de uma franquia
de querer ser amada e apreciada pelo homem que eu amo
de querer ter emprego em Junho para ter dinheiro até o final do mês
de querer ser vista como a pessoa que eu sou e não como um monstro
de ainda sonhar com amor quando o mundo está cheio de ódio
de ser contra racismo e preconceito em geral
de ser eu: UMA PESSOA COMPLICADA, COM DEFEITOS, MAS UMA PESSOA BOA QUE AMA, QUE VIVE LEGALMENTE, DECENTEMENTE E DENTRO DE UM CONTEXTO QUE NÃO É O SEU, MAS FAZ QUE ISTO TRABALHE A SEU FAVOR PARA CRIAR SUA FILHA


Eu não sou perfeita, mas não sou um monstro.
Não sou prostituta
Não uso drogas
Não tenho antecedentes criminais em país algum
Nunca roubei
Nunca matei
Nunca passei cheque sem fundos
Nunca nem tive uma multa por parar o carro em lugar errado
Sou uma pessoa honesta e se cometí erros pelo menos eu sei que meu corpo e alma jamais foram tocados pela podridão do que é ser uma prostituta em qualquer capacidade(NA MINHA OPNIÃO, ESPERO QUE RESPEITEM) .
Trabalhei como tradutora, escritora, professora universitária e em escolas de ensino médio e fundamental.
Trabalhei na adolescência como babysitter quando vivia nos EUA, fui au pair aqui na Noruega aos 29 anos porque era o único emprego com uma família Escocesa que eu podia fazer sem ainda falar Noruegues quando cheguei.
Trabalhei por uns anos no hotel porque só tinha trabalho de professora como substituta lá vez ou outra e precisava de dinheiro.

TODOS MEUS TRABALHOS FORAM SEMPRE DIGNOS E DECENTES
Nunca vendí drogas, nunca vendí meu corpo, nunca vendí trabalhos sexuais de qualquer espécie nem mesmo online como dizem as más línguas.

EU QUERO MEU NOME LIMPO E ISTO NEM QUE SEJA DEPOIS DA MINHA MORTE EU VOU TER.

sábado, 21 de maio de 2016

Feridas abertas, a tortura do silêncio, sobrevivência, vida, vida, vida



Cada dia tem sido uma luta muito grande. Não vou mentir dizendo que estou feliz. Estou muito triste. Se um ''gut feeling'' for verdadeiro e ao seguir este ''gut feeling'' a pessoa faz uma escolha melhor para sua vida, devemos ficar felizes pela pessoa. No entanto, sabendo que todas as suspeitas da pessoa e ''vibes'' que a pessoa está usando para tomar uma decisão estão errados e que a realidade é outra, não é possível ser feliz pela pessoa. Especialmente se a decisão de alguém te matar por dentro. A vida tem se tornado uma sobrevivência para mim. Eu chego ao fundo do poco (rock bottom) muitas vezes por mês e nos últimos meses aconteceu quase diariamente, mas o pouquinho de coragem que ainda me resta me deixa viver e Skyler é a grande responsável por isto: pela minha sobrevivência. Quanto ao rock bottom, fatores psicológicos como PTSD e depressão por viver na Escandinávia (seasonal depression) são responsáveis por este estado, mas a frieza de quem eu mais amo e as vezes palavras que matam por dentro tem me empurrado mais pra este fundo de poco.

Sabe quando mesmo rodeada de gente você se sente sozinha? Thalita, Senhora, Lia, Lih de São Luís, Bridget Jones, leitoras do meu blog devem ter reparado isto na minha escrita recentemente. As que lêem meu blog há mais anos vão perceber que ouve uma guinada de 180 graus na minha vida. Quando comecei isto daqui eu só falava em calorias, meu dia a dia... aos poucos foi se tornando algo totalmente diferente. Eu pouco falo de peso nos posts mais recentes. A vida depois que fiz 40, 41,42 e 43 anos se tornou um imenso desafio. Estou sobrevivendo cada dia. Não me sinto velha na aparência, meu corpo dá de mil a zero em muita menina de 20 e com os grisalhos pintados eu nem sequer aparento velha. O que se tornou um desafio foi lutar contra o que é muito mais forte do que eu. Me sentí na defensiva quase todos os dias desde mais ou menos Julho de 2015. Chorei muitas lágrimas solitárias, gritando e sofrendo por tudo que eu sabia que era verdade, mas não tinha como provar porque mesmo minhas provas eram ignoradas e distorcidas. A internet prejudica a vida da gente quando ela se torna de uma certa forma parte da sua vida real. O que muitos trolls não imaginam é que as palavras deles em si podem não me afetar, mas os rumores e a forma como são interpretados podem afetar minha vida inteira. Eu recebo conselhos de que devo deixar tudo de lado, não entrar mais na internet. Parece fácil, mas os danos já foram feitos. Eu não posso falar muito claramente porque abrir o verbo pode cutucar o diabo com vara curta. Eu considero o diabo uma pessoa que sente prazer em destruir as vidas das pessoas pela internet e que ainda riem e se divertem com isto. Se eu pudesse descrever tudo, com: nomes, datas, acontecimentos e provas acho que vocês entenderiam, mas eu corro um risco muito maior. Eu perdi muito da estabilidade da minha vida por causa de idiotices, photoshops e uma série de manipulações da verdade.

Isto se iniciou e eu achava muita graça nos meus programas (alguns eternalizados no meu canal no youtube www.youtube.com/safiwantstolive  ) quando era tudo só diversão. Depois a coisa tomou proporções pavorosas. Depois que eu passei a lecionar todos os dias e não tive mais tempo para transmitir ao vivo na podridão de battlecam.com/alkidavid e em lugares como vaughnlive.tv/anna_williams , me afastei e passei a documentar minha vida apenas como um legado para o futuro. Eu tenho muitas horas de filmagens que fiz das minhas palestras, algumas aulas, passeios com minha filha, tudo porque eu tenho a tecnologia no Ipad, laptops e o próprio telefone sempre á mão. Mas tudo isto é agora pra minha família para algum dia, quando eu me for, pois eu quero um legado real. ''Sua tataravó era assim, assim, assim....''. Não. As pessoas poderão ouvir de mim o que eu pensava, o que eu sentia e saberão quem eu era através do legado que fica. Espero que seja por um lado positivo e não um suicide note on video. Bate na madeira. Mas ainda assim, estou me preparando para uma nova fase da minha vida que vai ser muito mais difícil do que eu esperava. Eu estava esperando que a partir de Agosto eu estivesse trabalhando, feliz, me sentindo amada, realizada e em um outro patamar de emoções. Mas parece que algumas feridas continuam abertas e jamais se cicatrizarão por inteiro. Por isto estou me mantendo viva pensando primeiro em Skyler e depois em todo o resto, até no homem que eu amo. O silêncio de uma pessoa é melhor que palavras de ódio. Por favor, aceitem meu conselho e calem-se quando for a hora, não insistam em discussões em círculos onde apenas a feiúra da alma das pessoas aparece e isto pode matar o amor de uma das partes. Estou aqui digitando isto olhando pra Skyler que está distraída. Eu digito super rápido e não olho para a tela, isto não afeta minha habilidade como mãe.

Minha filha sempre foi uma das pessoas mais importantes na minha vida. Sei que ela também é uma das pessoas mais importantes na vida das avós, do pai, dos tios e todos os familiares. Eu nunca ví uma criancinha tão educada e obediente. Ela senta nos lugares e pacientemente fica no seu Ipad ou sentadinha pintando. Muitas vezes eu a levo para minhas aulas e ela senta quietinha e só fala quando eu pergunto alguma coisa.

Vou contar minhas bençãos e tentar parar de sofrer pelo que me foi arrancado de maneira tão covarde, mesmo que a pessoa pense que tem razão.

Fotos: Eu no ônibus , agora não mais grisalha como Tio Barnabé do Sitio do pica pau amarelo/ Skyler quando era bebê e finalmente eu com 20 anos na floresta em Pollock Pines, California. Eu era linda e não sabia, tinha potencial para ser tão feliz e muitas das coisas com as quais eu sonhei eu perdí ou nem conseguí. Mas como disse na última linha do post em si eu tenho que tentar parar de sofrer, as feridas abertas cutucadas todos os dias com o silêncio são uma tortura e jamais se cicatrizarão... ou pelo menos é o que parece.

OBS :Meu peso continua entre 58-63kgs , mas de repente eu vou emagrecer agora até secar, virar um esqueleto ambulante, linda.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Sobrevivendo por Skyler








Tenho passado por tempos de sofrimento. Os 5 primeiros meses deste ano tem sido muito difíceis. Se eu ainda ponho um sorriso nos lábios e vou no piloto automático sobrevivendo é por causa da minha filha porque ela precisa de mim e porque família que me ama apesar de nem sempre nos entendermos é muito importante pra mim.

Meus alunos me ajudam a manter o sorriso. Me porto diante de todos alunos de todas as idades com ética e profissionalismo, nada de affairs com alunos especialmente os menores de idade. As pessoas acham que por causa das Mary Kays da vida, toda professora está disposta  a isto. É crime fazer sexo com criancas. Uma pessoa de menos de 18 anos é uma crianca e mesmo que tenha 18,19, 20....30...45... aluno é aluno. Hoje as leis mundialmente mostram como an tiético ter este tipo de relacionamento. Da mesma forma como Médico e paciente.

Então quando falo que me apaixono na sala de aula, eu falo do trabalho. Eu me apaixono pelo trabalho como professora, me faz sorrir ensinar idiomas e literatura.

Tenho ido regularmente á academia. A minha academia é uma franquia e eu procuro sempre a academia onde está mais vazio. ODEIO LUGAR LOTADO COM GENTE QUERENDO BATER PAPO quando eu estou apenas querendo fazer ginástica, tomar banho, fazer sauna e sair de lá sem ser incomodada. Então eu busco as academias em horários mais vazios.

Vivo um regime de semi-isolamento, sem vida social. Estou satisfeita com isto. Tenho contas pra pagar, trabalho todos os dias como professora em lugares diferentes e não posso ficar nem gastando dinheiro para ir a barzinho e café quando eu tenho que comprar comida pra minha filha e pagar a conta de luz, internet, tv a cabo, minha parte do aluguel e groceries para a casa em geral. Estou muito bem resolvida com isto, não sou mais garotinha de 19 anos buscando thrills, saindo todo fim de semana, ficando com um monte de meninos. Eu estou com 43 anos e vivo em família. Eu tenho uma filha de 9 anos e me dou ao respeito.

Eu uso anel de casada, ninguém nas ruas pega ''vibe de solteira'' de mim ao me ver. Sou reservada e muito quieta.

Eu vou sobrevivendo por Skyler, tentando me manter sã, tentando me manter mentalmente estável e tentando provar que sou uma mulher decente e não uma bimbo buscando thrills por aí.

Se não conseguir provar, prefiro a morte. Mas não vou me entregar porque preciso tentar sobreviver mesmo que seja acusada de coisas que eu não fiz e de ser uma pessoa que eu não sou, sou constantemente acusada de ser muitas coisas, mas sei que eu não sou.

domingo, 8 de maio de 2016

Eu NÂO sou gorda, nem gordinha, nem cheínha e nem ''dei uma engordadinha''

Eu NÂO sou gorda, nem gordinha, nem cheínha e nem ''dei uma engordadinha''

Eu tenho um T.A.
Eu sofro diariamente.
O T.A. é um sintoma de que eu tenho outros problemas psicológicos. Não sou uma espécie de doente mental sem capacidade para discernir o certo do errado e nem sou psicopata ou sociopata ou qualquer forma de estereótipo que a sociedade teime em me rotular.

Este blog se iniciou em 2008 com o intuito de falar sobre os T.A.s e eu acabei dando muitos outros rumos a ele, mas tudo o que aparece aqui de uma forma ou de outra tem a ver com o T.A. ou vice versa. Muitas das minhas crises de depressão se manifestam com o T.A. e ele é exacerbado as vezes por causa delas.

No momento, como deve ter ficado bem claro, pelo teor do meu último post, não posso dizer que estou bem.

Estou me preparando para ir vivendo um dia de cada vez. Assim fazem os alcóolatras, viciados em rehabilitacão, pessoas que largaram qualquer vício e SIM, PESSOAS COM T.A.

Não existe cura.

Se houvesse cura, não haveria o efeito sanfona ou pessoas que mesmo depois de fazer cirurgia bariátrica ainda se sentem aprisionadas na personalidade de uma pessoa obesa e não conseguem se adequar ou outras que perdem grandes quantidades de peso e depois ganham de volta, pessoas que chegam a ficar quase na pele e no osso e ainda querem emagrecer mais e muitos outros tipos de situacões.

Quero ressaltar que as palavras Eu NÂO sou gorda, nem gordinha, nem cheínha e nem ''dei uma engordadinha'' são por causa de constantes comentários aparentemente inofensivos que me causam um tremendo mal estar. Por que? porque eu tenho um T.a.

A foto é recente e é mais para provar pra mim mesma que eu NÃO ESTOU GORDA
Eu tenho 1.65m e meu peso médio gira em torno de 56-63kgs

terça-feira, 15 de março de 2016

Se este foi meu último dia sobre a face da terra...








... sei que pequei, mas sei que amei e de verdade apenas uma vez,
... sei que sofrí e sem querer eu fiz sofrer, mas sei que jamais fiz de propósito e se pudesse tirar a dor que causei eu tiraria,
... sei que nunca fiz segredo pra Deus que o maior presente que Ele me deu foi minha filha e que minha mãe, meu irmão, minha sobrinha e o amor da minha vida foram também maravilhas que operaram em minha vida milagres de me manterem viva até hoje,
...sei que as minhas lágrimas sempre foram sinceras e que chorei de alegria, por amor, de tristeza e muitas vezes de dor física e emocional,
... sei que 43 anos foram poucos e que queria 103 como vovô Juca, mas se assim é o desejo de Deus no dia em que eu for eu vou feliz e agradecida pela passagem por esta vida terrena,
... quero pedir perdão pelos pecados que cometí, mas sei que a vida de ninguém tirei e que jamais roubei ou cobicei a riqueza das pessoas e que não  tive gula, não tive sequer medo de enfrentar os maiores sofrimentos, mas enfrentei com lágrimas
POR ISTO RIRAM DE MIM E ME CHAMARAM DE FRACA
Chorei, mas permanecí de pé e se tivesse mais algumas décadas aqui eu permaneceria de pé e aguentaria tudo por amor, por dignidade e especialmente em sacrifício á vida da minha filha e do homem que eu amei mais que a tudo neste mundo, só não amei mais que ele minha família e Deus.
... pode ser este mais um daqueles alarmes falsos, mas pode ser realmente o fim, então eu digo até logo porque se Deus perdoar meus pecados vamos nos encontrar novamente e será breve porque a passagem de tempo ao lado de DEUS não é uma espera cheia de sofrimento e angústia, é uma espera de alegrias e o tempo não se arrasta, ele passa sem que sintamos e sem que soframos...

Bloquei durante 8 anos aqui e se eu sobreviver o dia de amanhã blogarei de novo...